Segundo a pesquisa realizada na Universidade Estadual de San Diego(EUA) a está mais propensa à depressão e a solidão do que a geração anterior.

Entenda a pesquisa sobre a Geração Smartphone.

Uma pesquisa divulgada nos EUA e feita com aproximadamente 11 milhões de jovens, afirma que a geração que cresceu mexendo em celular, é menos propensa a dirigir, fazer sexo, sair e beber bebida alcoólica.

Esta pesquisa foi idealizada por Jean Twenge, que é professora e psicóloga da Universidade de San Diego. É possível consultar as análises comparadas no livro: “Gen: Why Today’s Super-Connected Kids are Growing up Less Rebellious, More Tolerant, Less Happy – and Completely Unprepared for Adulthood (iGen:

Por que as crianças superconectadas estão crescendo menos rebeldes, mais tolerantes, menos felizes – e completamente despreparadas para a vida adulta, em tradução livre)”.

A  geração do celular, que cresceu sabendo mexer no aparelho, tiveram sua criação em ambiente seguro, e com menos risco de vida. O problema é que a super-conectividade afeta o desenvolvimento social como um todo.

Boa parte dos jovens entrevistados na pesquisa, afirmam ter conhecimento dos danos provocados ao ficar muito tempo em frente a um celular.

Como combater o vício de celular?

A geração smartphone está viciada em celular, e para combater esse problema, algumas medidas são necessárias. Podemos deixar a tela cinza, deixar o celular carregando em outro cômodo que não seja o quarto.

Se quer mais notícias como esta, não deixe de acompanhar o nosso blog.